Palestra TEA–Transtorno do Espectro Autista

POR Euzir Neto 12/03/2018

O Colégio Curitibano Adventista do Bom Retiro protagonizou na noite do dia 06 de março uma iniciativa muito importante no processo de inclusão.

O Colégio Curitibano Adventista do Bom Retiro protagonizou na noite do dia 06 de março uma iniciativa muito importante no processo de inclusão de alunos com Transtorno do Espectro Autista na rede adventista de ensino. A direção do colégio organizou uma palestra sobre TEA para profissionais do CCABR, e para coordenadores, orientadores e docentes da rede na região metropolitana de Curitiba.

Antes mesmo da palestra ter início às 18h30min, o auditório já estava quase lotado. Aproximadamente 100 profissionais ouviram atentamente cada explicação do Doutor Paulo Liberalesso, do Departamento de Neurologia Pediátrica do Hospital Pequeno Príncipe, que explanou o tema por 1h30min, e logo após foi aberto um momento para perguntas.

Para o Diretor do CCABR, Paulo Orling, Teólogo e Historiador, o momento é propício para todo tipo de preparação, treinamento, e capacitação dos profissionais da área no processo de inclusão e instrução de alunos com TEA. “O colégio percebe que esse momento é muito especial, já que o número de crianças com limitações e com deficiências tem aumentado. E nós precisamos nos instrumentalizar para saber como atender esse público. Todos os filhos de Deus precisam ter condições iguais de serem formados, educados e preparados para a vida e vida futura. Quando detectamos que existem certas limitações, é nosso papel nos preparar para dar a melhor resposta, o melhor atendimento, e oferecer oportunidades iguais à essas crianças”, afirmou.

“A palestra foi fundamental por trazer uma visão mais aprofundada sobre crianças com TEA e como lidar com elas. Com a incidência destas crianças na educação infantil, precisamos nos informar cada dia mais sobre como agir, pra entender esse comportamento e prever situações. Foi uma ótima iniciativa do colégio!” declarou Lilian Marques, Coordenadora da Educação Infantil do CCABR.

A palestra esclareceu algumas verdades e mitos sobre TEA e qual deve ser o comportamento ideal dos profissionais, com vistas pra uma inclusão real e um processo de aprendizagem mais efetivo em sala de aula e em todo ambiente escolar. Matheus Felipe, Monitor Escolar no CCABR, gostou da iniciativa, pois a falta de conhecimento sobre o que fazer em momentos mais críticos dos alunos com TEA faz toda a diferença para agravar ou melhorar a situação. “É preciso saber como lidar com os alunos autistas, entender como eles pensam, como agem, e qual deve ser nossa atitude em cada situação. A palestra foi empolgante pela qualidade de conteúdo, nos orientou sobre métodos importantes para acalmar, o que falar, como ensinar e o que não se deve fazer”, afirmou Matheus.

                A palestra foi finalizada com a perspectiva de um novo encontro que trate a relação entre deficiência mental, processo de aprendizagem e ambiente escolar, o que fez com que os presentes aplaudissem animados pela excelente explanação do palestrante e pela expectativa causada na finalização da mesma. Logo após o término, o palestrante foi procurado por alguns profissionais para mais esclarecimentos, e respondeu com muita atenção cada questionamento.

O palestrante é Pós-graduado em Neurofisiologia, Mestre em Neurociências, Doutor em distúrbios da comunicação humana e em Otoneurologia. O Doutor Paulo atua no Hospital Pequeno Príncipe desde 1997.

                                                                                                                                                    Vander Rodermel